Acupuntura consegue virar o bebê dentro da barriga da mãe para ficar na posição correta para o parto normal

Convidando o bebê a virar


Acupuntura apresenta a técnica da moxabustão que ajuda a mudar a posição do bebê na barriga da mãe


Durante muito tempo temeu-se fazer acupuntura em mulheres grávidas. Existia um tabu acerca do assunto gerado pela falta de informação. Hoje a realidade é bem diferente. Muitas grávidas realizam o procedimento para vários fins, dentre eles, ajudar a mudar a posição do bebê para a realização do parto normal.


Geralmente um bebê costuma se posicionar de cabeça para baixo (posição correta para o nascimento, chamada de cefálica) entre as 32ª e 34ª semanas da gestação. Porém existem casos em que ele não se posiciona corretamente, dificultando ou impossibilitando o parto normal. Para ajudar o bebê a virar, a Acupuntura dispõe de uma técnica chamada Moxabustão, que se baseia nos princípios da Medicina Tradicional Chinesa e conhecimento dos meridianos de energia trabalhados na Acupuntura. Para a Dra Aparecida Enomoto, especialista em Acupuntura pela Universidade de Medicina Tradicional de Beijing, “esta técnica é muito eficiente e ajuda as mães que optam pelo parto natural. É um convite para o bebê caminhar para a posição cefálica e para o parto natural”, declara.

Moxabustão ou moxa é preparada a partir da artemísia (Artemisia vulgaris), uma erva perene comum. As folhas aromáticas são secas e peneiradas várias vezes até que fiquem macias.
Como funciona
 A combustão da artemísia tem a propriedade de aquecer profundamente, tornando-a eficaz quando há menos circulação, condições frias e úmidas, além da deficiência do yang. A Artemísia tem o poder de extrair a energia Yang do Yin.             
Quando aplicada aos pontos de acupuntura específicos à deficiência de yang, o corpo absorve o calor o máximo possível, recuperando o Qi (energia) do yang do corpo e o "fogo ministerial", a fonte de todo o calor e energia do corpo. 
Para isso, basta acender a ponta do bastão ou cone de Moxa e mantê-lo cerca de um centímetro ­­da superfície da pele, porém a distância varia de acordo com a tolerância do paciente e da quantidade de estímulo térmico que se deseja. Normalmente o bastão (ou o cone) é queimado alguns segundos em cada ponto de Acupuntura até a pele ficar avermelhada e o local aquecido.

O calor do bastão de moxa também pode ser conduzido através da agulha de acupuntura, por aproximação da pele. Esse processo é tido como moxa indireta: implica em enrolá-la, colocá-la na ponta de uma agulha de acupuntura enquanto ela está no corpo, e acendê-la. O calor da moxa percorre o cabinho e a agulha e esta transfere o calor especificamente ao ponto desejado no corpo.
A moxabustão pode ser utilizada sozinha ou associada às práticas de acupuntura tradicional e ventosaterapia.
Sobre a Dra. Aparecida Enomoto
A Dra Aparecida Enomoto, graduada em MTC – Medicina Tradicional Chinesa, com especialização em Acupuntura pela Universidade de Medicina Tradicional de Beijing e em fisioterapia, com especialização em UTI Respiratória no Brasil, coloca-se à disposição para colaborar em matérias e conceder entrevistas sobre suas especialidades.
Mais informações através do site www.acupunturaenomoto.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário