SANGUE DO CORDÃO UMBILICAL É CAPAZ DE CURAR MAIS DE 80 DOENÇAS

Armazenamento de células-tronco é feito logo após o parto

Toda mulher, ao ficar grávida, provavelmente já ouviu falar sobre armazenar células-tronco do bebê para preveni-lo de problemas futuros, mas sempre surgem mil dúvidas e, por falta de informação a família prefere não fazer o procedimento com medo que algo possa acontecer com seu filho durante o processo.
Atualmente essas células são consideradas patrimônio genético da criança e só podem ser obtidas no momento do parto. A grande importância de realizar esse procedimento é preservar recursos de tratamento para a criança.      As células do cordão podem ser usadas pelo próprio paciente ou por terceiros, porém para o uso em terceiros é necessário realizar exame de compatibilidade, ter autorização da família e autorização judicial.


O que poucos sabem é que as células-tronco do cordão umbilical podem ser utilizadas no tratamento da própria pessoa em mais de 80 doenças, como anemia, leucemia, linfomas, entre outros. O processo da coleta também não é nenhum bicho de sete cabeças. “O procedimento é indolor tanto para mãe quanto para o bebê e não interfere no nascimento da criança. Tudo acontece muito rapidamente e de forma segura”, afirma Elíseo Sekiya, presidente do IEP – Instituto de Ensino e Pesquisa e médico especialista em Hematologia e Hemoterapia, da equipe da CordCell.
A coleta funciona da seguinte forma: após o parto, o obstetra “corta” o cordão umbilical separando a mãe do bebê, em seguida, entrega o material (cordão e placenta) para o enfermeiro antes de ser descartado e este, faz a coleta do sangue presente no cordão umbilical e na placenta para uma bolsa estéril. Este procedimento não traz risco, incômodo nem dor para mãe ou para o bebê, podendo ser realizado em todos os tipos de parto.
O material é encaminhado para os laboratórios da CordCell, é realizada  a contagem das células e toda a sorologia (uma bateria de exames como testes para hepatite B, hepatite C, Citomegalovirus  e outros),  no sangue da mãe e do bebê.
As células-tronco são armazenadas em uma bolsa especial e submersas em nitrogênio líquido em uma temperatura de 196ºC negativos. As primeiras amostras preservadas no mundo estão armazenadas há mais de 20 anos. Estudos comprovam que as células preservadas com a tecnologia atual continuam com sua capacidade regenerativa intacta, confirmando a viabilidade do método.
A CordCell, utiliza recipientes térmicos para o transporte do material coletado, que são dotadas de sistema de controle constante e registro de temperatura, garantindo assim a integridade do material durante todo o transporte.

Sobre a CordCell
Primeira empresa médica brasileira pioneira na área de Terapia Celular, a CordCell existe há 14 anos. Formada por um avançado centro de biotecnologia, é especializada no tratamento com células-tronco do sangue do cordão umbilical. Sua estrutura é composta por uma equipe de 26 médicos especialistas na área e 800 colaboradores entre biomédicos, biólogos, farmacêuticos, enfermeiros e pesquisadores.
A CordCell, é a única empresa  no seguimento no Brasil e tem por traz de si um Hemocentro (Hemocentro São Lucas), que atende hospitais na capital e na grande São Paulo, incluindo Guarulhos, Osasco e ABC. O Hemocentro realiza a coleta, processamento, testes sorológicos e de imunohematologia, armazenamento, transporte, controle da qualidade e uso de homocomponentes.
Outra empresa do grupo ao qual pertence a Cordcell, é a Hemomed – Instituto de Oncologia e Hematologia, que é um centro de transplante de medula óssea – TMO. O Instituto tem como objetivo oferecer aos pacientes uma medicina individualizada com recursos avançados e eficazes como TMO, além de outros tratamentos de combate ao câncer. Oferece ainda tratamentos tradicionais, como a quimioterapia, hormonioterapia e realiza procedimentos avançados como a imunoterapia e a terapia antiangiogênica, que impedem o crescimento de vasos sanguíneos que nutrem o tumor.
O grupo possui as seguintes empresas: Hemocentro São Lucas Terapia Celular, Hemomed-Instituto de Oncologia e Hemoterapia, Cordcell-Células -Tronco do Cordão Umbilical e IEP -Instituto de Ensino e Pesquisa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário