90% dos cosméticos para bebês têm substâncias nocivas às crianças

Os pesquisadores usaram critérios estabelecidos por órgãos governamentais europeus para determinar se os produtos continham substâncias de “risco elevado”, “risco moderado” ou “risco baixo ou não identificado”


A ONG Women in Europe for a Common Future avaliou produtos de higiene destinados a crianças com menos de três anos em busca de substâncias perigosas e chegou a conclusões preocupantes. Em 341 cosméticos para bebês vendidos na França, como shampoos, lenços umedecidos e sabonetes, 90% apresentaram substâncias que podem prejudicar a saúde do bebê.
Os pesquisadores usaram critérios estabelecidos por órgãos governamentais europeus para determinar se os produtos continham substâncias de “risco elevado”, “risco moderado” ou “risco baixo ou não identificado”.
Substâncias de risco elevado: O alérgeno metilisotiazolinona foi encontrado em 19 produtos, incluindo lenços umedecidos. O fenoxietanol, uma substância conservante, que age de maneira tóxica sobre o sistema reprodutivo, foi encontrado em 54 produtos. Por fim, perfumes com potencial para gerar alergia foram encontrados em 226 itens.
Ao todo, 299 dos 341 cosméticos analisados (quase 90%) continham substâncias que representam risco elevado à saúde do bebê.
Substâncias de risco moderado: Nesse quesito entram os sulfatos (laureth e lauryl sulfato), substâncias limpantes presentes em shampoos que criam a espuma durante a lavagem, o EDTA (outro composto de shampoos e sabonetes líquidos) e óleos minerais refinados do petróleo. Eles foram encontrados em 181 produtos.
Para evitar produtos perigosos para o bebê, descarte, principalmente, os itens mais perfumados e procure pelas substâncias de risco mais elevado nos rótulos dos produtos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário